Aqui você saberá mais detalhes desse caso que abalou o Brasil em 1989










Blog criado para divulgar este caso que com o passar dos anos acabou sendo "esquecido". Maristela foi friamente assassinada pelo ex marido que também atirou contra os 2 filhos do casal e o cunhado em 04/04/1989. Depois de mais de 21 anos de espera na justiça, o caso foi à juri popular no dia 01/06/2010 em Jaboatão dos Guararapes, PE.O assassino foi condenado a 79 anos, ficou foragido por 2 anos e 5 meses, e graças a uma denúncia anônima foi capturado e preso em outubro de 2012.

22 anos de saudade!

           Hoje é uma data muito triste para nós, pois faz 22 anos que não temos mais Maristela conosco.
Em 04 de abril de 89 nossa mãe foi tirada de nós da pior maneira que se pode imaginar: pelo nosso, até então, "pai". São lembranças muito tristes e dolorosas que o calendário infelizmente não nos deixa esquecer. Apesar de toda impunidade sofrida durante décadas e agora a experiência de um princípio de justiça em nossas vidas, jamais estaremos completos de novo. Sempre haverá uma cadeira vazia em nossa mesa.
           Mesmo um dia a justiça sendo efetivamente feita e cumprida como deve ser, ainda assim, nunca será como antes, jamais voltaremos a viver momentos felizes ao lado dela que sempre foi e sempre será muito importante e especial nas nossas vidas. 22 anos de luto!! 22 anos de pura saudade.

2 comentários:

francisco disse...

Dia 04/04/1989 dia da infâmia, também não podemos deixar de lembrar de 01/06/2010 este o dia da Injustiça, ou melhor, por enquanto, o faz de conta que foi feito justiça. A SOCIEDADE NÃO PODE ESQUECER NEM SER OMISSA COM ESSAS DUAS DATAS. Natháilia e Zaldo um grande abraço.

Nielen Costa disse...

Já se passaram 25 anos,que bom que VC conseguiu colocar esse assassino na cadeia,parabéns pela determinação,e por nunca ter desistido de fazer justiça para sua mãe e para vcs.Assistir ontem a Gvt ,e hoje a reprise,e fiquei muito comovida com a história.Parabéns para você e seu irmão. Nielen Costa

Você se lembra deste caso?